Link sobre Lazaro Barbosa no Paraná é “Fake News”, além de trazer vírus para celulares

O link circula em vários grupos de Whatsapp de Assis Chateaubriand, sendo que algumas pessoas tiveram contas clonadas, além de vírus, mesmo sendo brincadeira de mal gosto

Várias imagens e links falsos utilizando o logo do G1, estão circulando na internet dizendo que o foragido Lázaro Barbosa de Sousa,de 32 anos, acusado de diversos homicídios e outros crimes, estaria se escondendo por outros estados e até no Paraná. Um dos links, que imita um portal de notícias nacional e de credibilidade, diz que o criminoso teria escapado da polícia do Distrito Federal e de Goiás e estaria em direção à fronteira de Goiás com o Paraná. Aí está o primeiro equívoco, já que o Paraná não faz fronteira com Goiás.

O mesmo texto falso continua dizendo que o assassino roubou um carro em uma fazenda e abandonou próximo à Nova Londrina e que a polícia acredita que o criminoso está tentando chegar à cidade de Paranavaí, onde tem parentes, bem como já estaria na divisa entre Guaíra e Paraguai.

Ao entrar no link a pessoa se depara com uma imagem do humorista Tiririca, dizendo que é mentira. No entanto, muitas pessoas não entram no link ou acabam recebendo somente o print da fake news e repassam acreditando ser verdade.

Outras pessoas, tiveram contas bloqueadas, após clicar no link, entre elas Facebook e Instagran.

Assim como essas, dezenas de fake news sobre o caso estão circulando pela internet, dizendo que o criminosos estaria em direção à determinadas regiões do Brasil. Em coletiva de imprensa feita recentemente, o Secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) Rodney Miranda, disse que essas informações falsas acabam fazendo com que os investigadores “deixem de atender mais rapidamente uma informação procedente, para atender uma que não tem relevância”.

Segundo ele, tais situações têm provocado interferências na operação. “É um problema sim. Não só essa Fake News [de que Lázaro estaria em um cemitério], como outra de que ele já havia sido baleado, que já estava morto. Tudo isso atrapalha, porque não só a nossa Inteligência, como as unidades de operação, tem que checar. Às vezes a gente deixa de atender mais rapidamente uma informação procedente, para atender uma que não tem relevância”, ressaltou.Mais de 200 policiais participam das buscas por Lázaro Barbosa Sousa na região de Cocalzinho de Goiás. As ações são comandadas pela Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), com a ajuda de equipes do DF e das Polícias Federal e Rodoviária Federal.

Policial Web com Agência Brasil/ParanavaíNoticias

Compartilhar:

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply