Sindimoc irá entrar com denúncia contra Greca por calúnia e por expor população ao coronavírus

Curitiba – O presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), Anderson Teixeira, disse que a entidade deve entrar com denúncia na Justiça contra o prefeito de Curitiba, Rafael Greca. De acordo com Teixeira, o prefeito teria exposto a população ao coronavírus ao permitir as medidas que reduziram o número de ônibus nas ruas da cidade e provocaram superlotação no transporte público nesta sexta-feira (20). Além disso, Greca teria cometido o crime de calúnia ao dizer que o sindicato estaria fazendo uma greve velada.

“Nosso entendimento é que o prefeito infringiu o código penal ao possibilitar a reunião de um grande número de pessoas e possibilitando o contágio da população pelo coronavírus. Ele ainda veio a público para falar que o sindicato estaria fazendo uma greve velada, o que foi uma calúnia contra a diretoria da entidade e os trabalhadores da categoria, tendo em vista que foi uma medida da própria prefeitura que provocou as lotações”, disse o presidente do Sindimoc.

Na quinta-feira (19), a Urbanização de Curitiba (Urbs) anunciou algumas alterações no transporte coletivo de Curitiba em função da redução da demanda de passageiros. O transporte coletivo da cidade teria perdido cerca de 37% do fluxo de passageiros nos últimos dias.

As tabelas extras, que geralmente são colocadas pela manhã e à tarde, foram suspensas. A partir de segunda-feira (23), durante a semana, os ônibus deveriam usar tabela de sábado, com exceção das linhas Expresso, Ligeirões e Linha Direta Inter 2. Já aos sábados seria usada a tabela de domingo e o domingo permaneceria inalterado.

No mesmo dia em que foram anunciadas as medidas, o Sindimoc fez um apelo, direcionado à Prefeitura de Curitiba e ao Governo do Paraná, para que o transporte coletivo seja paralisado completamente em Curitiba e região metropolitana. Teixeira acredita que o transporte coletivo pode ser o grande disseminador do Covid-19. “Você reduzir o número de ônibus e aumentar o número de passageiros dentro dele, está aumentando o risco de muitas pessoas serem contaminadas. Estamos fazendo um apelo para que o transporte seja paralisado, assim como o comércio, para que as pessoas se reservem dentro de casa”, disse ele.

A reportagem procurou a Prefeitura de Curitiba, que respondeu que não irá comentar as declarações do presidente do Sindimoc.

Fonte: Banda B

Compartilhar:

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply